segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

gosto de....

Gosto de ser ouvida,amada,mesmo, que nao compartilhem dos meus sonhos, planos e metas, gosto da sensaçao de que o que falo, nao sao palavras que nada significa.
e amada, por que amor e vital, e o que me faz pulsar , me aquece como nas tardes ensolaradas mas que se o coraçao estiver vazio,nao aquece apenas entristece pela falta de calor.
porque amar me faz cantar, mesmo que seja desafinada, ainda assim e cançao, suave, delicada, como flores colhidas no quintal de desconhecidos.
gosto de chuva fina no telhado, cama macia, musica, e amor.
gosto de beijo, de fruta madura, de doce, chocolate,dia frio,livro de romance, desenho.
gosto de ficar quieta, conversar,gosto de piada de qualidade, comida caseira,banho demorado,sorvete, algodao doce, segredos, caminhar descalça na grama,pintar as unhas e vermelho, usar vestido.
gosto de cor vibrante.
gosto de musica nova.
gosto de transformar objetos velhos.
gosto de sabado.
gosto de dormir abraçada.
de bom dia, boa noite, gentileza nunca e demais.
gosto de flores.
gosto de surpresa.
gosto de imaginar, criar, inventar.
gosto de...
iasminny martins

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011


Querido John,
Há tanta coisa que quero dizer para você, mas não tenho certeza por onde devo começar.
Devo começar dizendo que te amo? Ou que os dias que passei com você foram os mais felizes
da minha vida? Ou que, no curto espaço de tempo que nos conhecemos, passei a acreditar que
fomos feitos um para o outro? Poderia dizer todas essas coisas e tudo seria verdade, mas,
enquanto releio estas palavras, a única coisa que passa pela minha cabeça é que queria estar
com você agora, segurando sua mão e olhando seu sorriso elusivo.
No futuro, sei que vou reviver o tempo que passamos juntos mil vezes. Vou ouvir seu
riso, ver seu rosto e sentir seus braços em torno de mim. Vou sentir falta de tudo isso, mais do
que você pode imaginar. Você é um cavalheiro raro, John, eu estimo isso em você. Todo o
tempo em que estivemos juntos, você nunca me pressionou para dormir com você, e eu não
posso dizer o quanto isso significou para mim. Tornou o que temos ainda mais especial, e é
assim que eu quero me lembrar para sempre do período que passamos juntos. Como uma luz
branca e pura, cuja contemplação é de tirar o fôlego.
Penso em você todos os dias e sei que, quando for te ver amanhã, dizer adeus será a coisa
mais difícil que já fiz. Parte de mim teme que chegue um momento no qual você não sinta mais
o mesmo sentimento, que por algum motivo você esqueça o que nós compartilhamos, então é
isso que eu quero fazer. Onde quer que você esteja e não importa o que esteja acontecendo em
sua vida, na primeira noite de lua cheia – como na noite em que nos conhecemos – quero que
você a encontre no céu noturno. Quero que você pense em mim e na semana que partilhamos,
porque, seja onde for, seja o que estiver acontecendo na minha vida, é exatamente isso o que vou
fazer. Se não podemos estar juntos, pelo menos podemos compartilhar isso, e talvez entre nós,
sejamos capazes de fazer isso durar para sempre
Eu te amo, John Tyree, e eu vou agarrar-me à promessa que uma vez você fez para mim.
Se você voltar, vou casar com você. Se você quebrar a sua promessa, vai partir meu coração.
Com amor,
Savannah


Não te pedi para ficar, pra sempre, só pedi para que ficasse por algum tempo, mais uma semana, um mês, um ano, não a vida inteira afinal,eu nem sabia ao certo como seria se fosse embora.
As pessoas quando vão embora deveriam nos ensinar, como voltar a vida, sem que as cicatrizes nos machucasse tanto, já li muitas coisas falando de amor, como amar é lindo, profundo, e coisa e tal, mas nunca li receita de como sobreviver a ausência, a distancia, a se tornar desconhecido de quem tanto se amou,mas isto e um malabarismo que aprendemos tão somente, mas as pessoas nunca se vão totalmente, elas ficam, nas lagrimas que choramos pensando no que não deu certo, e pensar que não se foi suficiente para se fazer necessário a outra pessoa, e frustrante, e faz a magoa e incerteza aumentar..
Mas eles permanecem ali, não me perguntem por que, ou como, mas estão ali, para nos lembrar, que saudade, tem cheiro próprio, tem canção, tem sorriso, e tem aquele olhar de quem foi embora e não quis ficar mais 5 minutos, para aquele beijo, aquele toque, que não foi dado, mais eu acredito que se é o fim, tem que ter cara de fim, com briga, palavras que amargaram o relacionamento, distas no calor do adeus, odeio finais pela metade, daqueles com eu te amo, se ama fica junto, ama junto, sofre e aprende junto, comigo não tem desta, que vamos dar tempo, tempo para sofrer na incerteza do se vai voltar a estar presente, a ser amor, a ser juntos novamente.
Assim mesmo que eu não peça para ficar, fique, ninguém e perfeito, pode parecer clichê, mas vamos amar, amar, amar, e amar,não tem receita, formula encantada, tem apenas um homem e uma mulher, que quando se olham e se sorriem, o mundo pode parar, acabar, seja lá o que for, ali tem algo mais, e esse algo mais aquece, aquieta, sossega, transborda, e quando o fim chega, fica a inquietação do olhar, não se olham mais nos olhos, afinal se olharem fica visíveis todo o sentimento, que mesmo depois de anos e muitos adeus, ainda se sabe ser amor.

Iasminny Martins

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Você lê e sofre. Você lê e ri. Você lê e engasga. Você lê e tem arrepios. Você lê, e a sua vida vai-se misturando no que está sendo lido.


Caio Fernando Abreu
Você lê e sofre. Você lê e ri. Você lê e engasga. Você lê e tem arrepios. Você lê, e a sua vida vai-se misturando no que está sendo lido.


Caio Fernando Abreu
Falta.





Ele pode estar olhando as suas fotos . Neste exato momento . Porque não ?





Passou-se muito tempo . Detalhes se perderam . E daí ?





Pode ser que ele faça todas as coisas que você faz . Escondida . Sem deixar rastro nem pistas . Talvez ele passe a mão na barba mal feita e sinta saudade do quanto você gostava disso.





Ou percorra trajetos que eram seus, na tentativa de não deixar que você se disperse das lembranças . As boas .





Por escolha ou fatalidade, pouco importa, ele pode pensar em você .





Todos os dias . E ainda assim preferir o silêncio .





Ele pode reler seus bilhetes, procurar o seu cheiro em outros cheiros .





Ele pode ouvir as suas músicas, procurar a sua voz em outras vozes .





Quem nos faz falta acerta o coração como um vento súbito que entra pela janela aberta .





Não há escape .





Talvez ele perceba que você faz falta . E diferença .





De alguma forma, numa noite fria . Você não sabe .
Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero música, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber. Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou, e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ser a melhor pessoa é uma ofensa para mim, desejo ser a pessoa predileta, a pessoa necessária.

Fabrício Carpinejar

Ah o amor ... que nasce não sei onde, vem não sei como e dói não sei porque...

Carlos Drumond de Andrade

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade".

Concordo com você,e é por isto que eu me arrisco tanto..
TE AMO...TE AMO...TE AMO...TE AMO...TE AMO...!!!!!!!!!!

Carlos Drumond de Andrade



Hoje só quero o silencio, da minha propria necessidade de ficar quieta enquanto a vida diz adeus, e eu? eu fiquei para poder sentir, o que fico depois do adeus.
_ e o que ficou?
_ ficou uma saudade, o silencio e mais nada.

Iasminny Martins

No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento...

Mário Quintana

É. Então é assim. Ontem você quebrou o caule das flores,
hoje um copo, amanhã será um vaso vermelho. E você não conserta as coisas.
Nunca. Passado um tempo, você empilha elas sobre a mesa e finge que estão como sempre estiveram. Como sempre deveriam estar.
Na mesa (quebrada) as flores (partidas) apodrecem no vaso (trincado).
E você sorri, me abraçando como se tudo estivesse bem.
Como se ruínas fossem belezas ainda frescas. Não são.
Eu vejo os vincos. Eu me corto nos cacos.
Eu sei dos armários abarrotados de louça partida.
Dos baús repletos de roupas rasgadas. Fiapos de cortina não cobrem o sol, meu amor.
É. Então é bem assim. Um dia você vai perceber que a única coisa inteira na casa toda é o espelho. Mas, se o espelho está inteiro, minha querida, então somos nós que estamos partidos.

[V. Linné]

e seu aniversario, de 25 anos, assim deixo todos os pensamentos e falo do homem incrivel que tenho ao meu lado, do companheiro, do amigo de piadas que me fazem rir, do menino de sorrisso facil, desse homem, forte, trabalhador, que tem 2 empregos, que encontra tempo para me amar e me fazer feliz..

e esse homem que eu escolhi para amar, poucos tem essa opçao,escolhi ter voce como meu companheiro.. e me apaixono por vc a cada dia, a cada gesto simples de comprensao, apoio mutuo, garra, determinaçao pelo que quer, voce me ensinou a ir a luta, sonhar alto e nao importa com aqueles que nao tem essa força e ainda sao destrutivos.

vc tem a paciencia, para meus dias turbulentos, os dias de lagrimas sem sentido, os dias de desanimo com a vida, vc e minha ancora, e tambem tem seus dias, e nesse eu sou seu apoio, para dizer a verdade que precisa ouvir, para relembrar o que talvez tenha esquecido, estamos apenas em uma fase, e ja vencemos tantas fases nestes 3 anos juntos, e somos melhores juntos, e podemos começar de novo, mudar, inventar, mas juntos e o que importa meu bem....

estamos juntos e isso que importa...

dividimos nossos sonhos, e somamos mais um tanto de coisas que queremos conquistar, e eu amadureci tanto ao teu lado, me tornei nao apenas mais corajosa, vc me impulsiona.

e observar nosso menino crescer, nao tem preço que compre isto, ver ele aprendendo com nos dois...ele te ama tanto quanto eu.... sei disto pela forma como diz papai amor.. rsrsr vande nao mae.. papai amor...

posso escrever por horas, como e amar vc, porque amor mesmo nao tem razao, perde todo o sentido quanto vc me olha, me beija...

e te desejo tudo de melhor na sua vida, e na nossa, para que possamos celebrar muitos e muitos anos juntos, te fi prometer isto, e entao e sua missao me amar e estar ao meu lado..

pois eu durmo melhor quando esta ao meu lado, dividir meus dias, com vc me faz feliz..

te amo vander..vc nao e apenas pai do meu menino, e meu marido... vc e meu amor, meu tudo,

meu moreno lindo.. bonito e sensual......

com amor minny

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011


Eu bem que poderia escrever sobre guerras, mortes a seca, as imundaçoes, nao e que eu nao seja sensivel para todas as calamidades que cercam o mundo e a humanidade, mas nos raros momentos que ligo a tv em casa, só escuto e vejo nos noticiarios as tragedias, confesso que chorei um dia ao ver um homem que perdeu toda a familia, esposa, filho,mae, e ainda assim mostrou coragem em ajudar aos outros, isto e coisa rara, nos dias atuais fiquei tao comovida que fiquei matutando, e olha que pensar longe e fazendo associaçoes e minha area,fiquei imaginando o que se passou na cabeça daquele homem, as lagrimas mais tristes que alguem poderia chorar, a da perda, aquela que voce nao ira tocar, sentir o outro, nao tem mais palvras, o som da voz de quem amamos, nao tem mais o outro revirando na cama enquanto dorme, e se aconchega ao seu corpo, inconsientemente, pois ali e seguro, mesmo que seja so o calor na noite, nao tem mais contrapontos,dia a dia, quando a morte vem, fica o silencio do adeus nao dito,da possibilidade de disermos nao vai, fica eu amo voce, a morte, nao e o abandono, e partida, anunciada, imprevista,rapida, fiquei pensado na criança, o homem juntando os brinquedos do ''menino'' nao tenho certeza se era um menino,e fiquei pensando nisto durante dias, a perda dele, me tocou, e me fez pensar, em algo que raramente me disponho a pensar e escrever.
a morte.
e ai, quando eu me for?
o que fica?
de mim?
saudade?
E tudo que vivi, ira se apagando com os anos.. se tornando lembranças fracas e distante, mas para os mais proximos, fica a dor silenciosa, aquela do adeus nao dito, do ultimo beijo, da ultima risada, e essas lembrança, as pessoas tentam reuni-las em um só lugar, prendendo as lembrança, para que nao se vá.
E doloroso pensar que quem amamos pode ir, quando eu era criança, temia pelos meus pais, acordava na madrugada, abria silenciosamente o quarto deles, e verificava se estavam dormindo, era quase um ritual, e isto me deixava mais louca, quando engravidei, fiquei preocupada que mantesse a mania de ver se estavam bem, no meu menino, dai com muito autocontrole, nao aço isso, sempre, so de vez enquanto passo pelo berço.
pensar nisto, e até mesmo estranho, mas os sentimento de ver a vida se apagar, dizer adeus, e uma unica certeza que temos,mais estamos sempre a a pedir fica, eu te amo.
e o tempo para amar, e agora, nao quero parecer cliche,mais e o tempo de valorizarmos, quem amamos, abraçar, beijar sem dar explicaçao, apenas por que sao insubstituiveis.


A tudo que me completa, me seduz, me deixa com as pernas bambas olhar sonhador, a tudo, que me atrai, me sufoca, e me faz transbordar em milhares de palavras sem nexos, mais repletas de significados..
ah todas as ruas pelas quais passei, aos sonhos que sonhei completo, e os que deixei pela metade, projetos inacabados e engavetados, para quando tiver tempo de sonhar de novo o mesmo sonho repetidas vezes, sem se tornar monotonos, ou inuteis, afinal sao meus, e como boa egoista, posso me dar ao luxo de resonhar.
ah todos os amores que nao foram capazes de durar, que perderam a beleza, o sabor, o cheiro de descobertar, e se tornaram apenas isto, ou quase esquecidos, mais ficaram, seja como for, em um cheiro, um lugar, um perfume, uma cançao, assim distante.
ah os amigos, que ficaram apesar da minha louca e cansante, inconstancia no pensar e agir,que apesar dos conselhos e minhas promessas de mudar, continuo a cometer erros, e a falhar,aos que foram apenas de estaçao, de um tempo, mas que tem um ou outro segredo meu, tolos talvez, mas que sao unicos meus.
para tanto apenas que minha vida nao seja sem valor, mais que seja tao especial quanto se apaixonar, pela milesima vez por quem esta ao nosso lado ,nem como ancora nem como asas, apenas presença, sutil, arrebatadora, e constante, balsamo, para minha bagunça sentimental, calma, e calma e tudo que preciso num dia cinzento, que afoba os nervos, me tira os pés da terra, gosto mesmo e de sol, calor, energia e cor, muita cor, pois a vida ja tem desamores demais para que eu me anule, e crie mais um casulo em torno de mim...
já tem pessoas frias, e que nao amam, para que eu precise fingir amor.. eu amo.. amo e grito esberro, o que for necessario para dizer o que sinto deve ser porisso que tantos se afastam, mais eu preciso e viver, sentir na pele, seja o frescor, seja o amar.. pele.. e deixa ir quem se incomodar eu sou assim mesmo amo por inteiro, vivo por inteiro..
ah mim por isso, por ser capaz de encarrar meus proprios defeitos e desvaneios e ainda ser feliz com isto...


Iasminny Martins

Procurei o amor que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava.
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!
Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!
Passei a vida a amar e a esquecer…
Um sol a apagar-se e outro a acender
Nas brumas dos atalhos por onde ando…
E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há de partir também… nem eu sei quando…

Florbela Espanca - Livro de Soror Saudade

Você sempre me disse que sua maior mágoa, era eu nunca ter escrito um texto sobre você. Nem que fosse te xingando, te expondo. Qualquer coisa. Você sempre foi o único homem que me amou. E eu nunca te escrevi nem uma frase num papelzinho amassado. Você sempre foi o único amigo que entendeu essa minha vontade de abraçar o mundo quando chega a madrugada. E o único que sempre entendeu também, o porque de eu dormir chorando, porque era impossível abraçar sequer alguém, o que dirá o mundo. Outro dia eu encontrei um diário meu, de 99, e lá estava escrito “hoje eu larguei meu namorado sentado, e dancei com ele no baile de formatura”. Ele, no caso, é você. Dei risada e lembrei que em todos esses anos, mesmo eu nunca tendo escrito nenhum texto para você, por diversas vezes larguei vários namorados meus, sentados, e dancei com você. Porque você é meu melhor companheiro de dança, mesmo sendo tímido e desajeitado. Depois encontrei uma foto em que você está com um daqueles óculos escuros espelhados de maconheiro. E eu de calça colorida daquelas “bailarina”. E nessa época você não gostava de mim porque eu era a bobinha da classe. Mas eu gostava de você porque você tinha pintas e eu achava isso super sexy. E eu me achei ridícula na foto, mas senti uma coisa linda por dentro do peito. Aí lembrei que alguns anos depois, quando eu já não era mais a bobinha da classe e sim uma estagiária metida a esperta que só namorava figurões (uns babacas na verdade), você viu algum charme nisso e me roubou um beijo. Fingindo que ia desmaiar. Foi ridículo. Mas foi menos ridículo do que aquela vez, ainda na faculdade, que eu invadi seu carro e te agarrei a força. Você saiu cantando pneu e ficou quase dois anos sem falar comigo.
Eu não sei porque exatamente você não mereceu um texto meu, quando me deu meu primeiro cd do Vinícius de Morais. Ou quando me deu aquele com historinhas de crianças para eu dormir feliz. Ou mesmo quando, já de saco cheio de eu ficar com você e com mais metade da cidade, você me deu aquele cartão postal da Amazônia com um tigre enrabando uma onça.
Também não sei porque eu não escrevi um texto quando você apareceu naquela festa brega, me viu dançando no canto da mesa, e me disse a frase mais linda que eu já ouvi na minha vida “eu sei que você não gosta de mim, mas deixa eu te olhar mesmo assim”. Talvez eu devesse ter escrito um texto para você, quando eu te pedi a única coisa que não se pede a alguém que ama a gente “me faz companhia enquanto meu namorado está viajando?”. E você fez. E você me olhava de canto de olho, se perguntando porque raios isso acontecia com você. Talvez porque mesmo sabendo que eu não amava você, você continuava querendo apenas me olhar. E eu me nutria disso. Me aproveitava. Sugava seu amor para sobreviver um pouco em meio a falta de amor que eu recebia de todas as outras pessoas que diziam estar comigo. Depois você começou a namorar uma menina e deixou, finalmente, de gostar de mim. E eu podia ter escrito um texto para você. Claro que eu senti ciúmes e senti uma falta absurda de você. Mas ainda assim, eu deixei passar em branco. Nenhuma linha sequer sobre isso. Depois eu também podia ter escrito sobre aquele dia que você me xingou até desopilar todos os cantos do seu fígado. Eu fiquei numa tristeza sem fim. Depois pensei que a gente só odeia quem a gente ama. E fiquei feliz. Pode me xingar quanto você quiser desde que isso signifique que você ainda gosta um pouquinho de mim.
Minhas piadas, meu jeito de falar, até meu jeito de dançar ou de andar. Tudo é você. Minha personalidade é você. Quando eu berro Strokes no carro ou quando eu faço uma amiga feliz com alguma ironia barata. Tudo é você. Quando eu coloco um brinco pequeno ao invés de um grande. Ou quando eu fico em casa feliz com as minhas coisinhas. Tudo é você. Eu sou mais você do que fui qualquer homem que passou pela minha vida. E eu sempre amei infinitamente mais a sua companhia do que qualquer companhia do mundo, mesmo eu nunca tendo demonstrado isso. E, ainda assim, nunca, nunquinha, eu escrevi sequer uma palavra sobre você. Até hoje. Até essa manhã. Em que você, pela primeira vez, foi embora sem sentir nenhuma pena nisso. Foi a primeira vez, em todos esse anos, que você simplesmente foi embora. Como se eu fosse só mais uma coisa da sua vida, e que você é cheio dessas coisas. E que você usa para não sentir dor ou saudade. Foi a primeira vez que você me deixou te olhar, mesmo você não gostando de mim.
E foi por isso, porque você deixou de ser o menino que me amava e passou a ser só mais um que me usa, que você, assim como todos os outros, mereceu um texto meu.

Tati Bernardi

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011


E estamos juntos que mais importa?
E eu acreditei tanto em tantas verdades por tanto tempo, que já nao consigo decidir se eram verdades minhas, ou verdades que tantos acreditam, mas enfim o importante e que me impulsinaram a criar um caminho, um motivo, uma soluçao mesmo que momentania de ser feliz, de amar...
e como é bom amar...
nao e necesario muito e nem tao pouco para amar, apenas deixar descansar as milhares de mascaras, no canto da sala,
deixar apenas que o corpo fale... os segredos... aqueles segredos...
enfim, que me seja verdade, nada mais...
iasminny martins

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011



Deveria ter brigado mais, respondido as agressões,
sangrado mais, esperneando e puxado os cabelos.
Gritado palavrões, e socado o ar.
No acúmulo da poeira, as gavetas trincaram.

(Carpinejar)



Um dia sou multidão; no outro sou solidão. Não quero ser multidão todo dia. Num dia experimento o frescor da amizade; no outro a febre que me faz querer ser só. Eu sou assim. Sem culpas."

(Pe. Fábio de Melo)

''Então, fiz tudo que meu amor poderia fazer.''

Madre Teresa de Calcutá





Assim mesmo que nao pareça suficiente, para mim e tranquilizador e posso dormir a noite, sabendo que imprimi, amor,afeto, e tudo por esse sentimento...


Tenho um histórico de tomar decisões muito rápidas em relação aos homens.
Sempre me apaixonei depressa, sem avaliar os riscos. Tenho tendência não somente a ver apenas o que há de melhor nas pessoas, mas a partir do princípio de que todo mundo é emocionamente capaz de alcançar seu potencial máximo.
Já me apaixonei pelo potencial máximo de um homem mais vezes do que consigo enumerar, em vez de me apaixonar pelo homem em si, e em seguida agarrei-me ao relacionamento durante muito tempo (algumas vezes, tempo demais), esperando que o homem chegasse à altura de sua própria grandeza.
Muitas vezes, no amor, fui vítima do meu próprio otimismo.

(Comer, Rezar, Amar - Elizabeth Gilbert)

Teu amor entrou na minha vida
Violentamente,
Como um sopro de vento
Abrindo a janela de repente.
Teu amor desarrumou meu destino
Arrancou da parede
Velhos retratos queridos,
E quebrou uma jarra
No canto da minha alma
Cheia de rosas,
Cheia de sonhos…
Depois…
Teu amor saiu da minha vida de repente
Como um sopro de vento
Fechando uma porta,
Violentamente

Carlos Drummond de Andrade

... Amar dói tanto que você fica humilde e olha de verdade para o mundo, mas ao mesmo tempo fica gigante e sente a dor da humanidade inteira. Amar dói tanto que não dói mais, como toda dor que de tão insuportável produz anestesia própria..."

Tati Bernardi
(...) Os grandes amores são assim mesmo, eles nos dão o caminho da emoção, mas os sentimentos de verdade são apenas nossos, ninguém copia, ninguém leva, ninguém divide..."

Tati Bernardi

(...) Os grandes amores são assim mesmo, eles nos dão o caminho da emoção, mas os sentimentos de verdade são apenas nossos, ninguém copia, ninguém leva, ninguém divide..."

Tati Bernardi

para quando...




   Para quando tivermos tempo de sentar no chaõ para brincarmos, e sermos criança por uns pequenos segundos...
   Para quando todos os sorrisos sobresairem as lagrimas, os pedidos de atençao...
   Para quando, somente uma coisa importar, o descanso, e seu acalento, suas palavras, gestos, suas pequenas maos...
    Para quando eu nao viver para o cotidiano, para os dias e o relogio que nao para eu te ver dormir... 
Para quando eu percebi que voce cresceu, ja anda, fala, corre, e consegue ficar um dia todo sem mim, e eu ainda nao consigo viajar, enfim para quando descobri que sou dependente de ver voce por perto... dependente de saber tudo, de me frustrar nao conseguir estar presente em cada momento...
Para quando eu descobri , que sou boa em algo, amar voce, falar de voce, escreve sobre voce... nao e simplesmente amor incondicional, consigo ver seus defeitos, suas manias interminaveis, pecularidades que fazem ser voce meu menino...
Para quando eu enfim entendi... que posso aprender, posso ser melhor, pois voce me faz ser melhor, me ensina simplicidade,fé e amor....
Para quando voce conseguir entender... todo o espaço que preenche na minha curta existencia...
iasminny martins


''Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro''.

Clarice Lispector

Eu sou assim, ligada na tomada. Sempre querendo encontrar uma razão pra tudo.
Pessoas como eu sofrem mais. Se decepcionam mais.
Por outro lado, crescemos.
Evoluimos.
Amadurecemos.
Nada é estático em nossas vidas.
Nada é à toa.
Tudo ganha uma compreensão, tudo é degrau, tudo eleva.

(Martha Medeiros)
Eu ...


Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho,e desta sorte
Sou a crucificada ... a dolorida ...

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...

Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber porquê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!

Florbela Espanca

''O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!''

Florbela Espanca
Não estou vivendo perigosamente.
Troquei o perigosamente, pelo intensamente, inconsequentemente,
apaixonadamente.
Não há perigo.
Perigoso é a gente se aprisionar no que nos ensinaram como certo
e nunca mais se libertar, correndo o risco de não saber mais viver
sem um manual de instruções.

[Martha Medeiros]

Não estou vivendo perigosamente.
Troquei o perigosamente, pelo intensamente, inconsequentemente,
apaixonadamente.
Não há perigo.
Perigoso é a gente se aprisionar no que nos ensinaram como certo
e nunca mais se libertar, correndo o risco de não saber mais viver
sem um manual de instruções.

[Martha Medeiros]

Estou com sede de mudanças,
mas não quero arrastar os móveis,
nem desentortar os quadros.
Quero desabitar meus hábitos.


(Marla de Queiroz)
Nunca fui como todos
Nunca tive muitos amigos
Nunca fui favorita
Nunca fui o que meus pais queriam
Nunca tive alguém que amasse
Mas tive somente a mim
A minha absoluta verdade
Meu verdadeiro pensamento
O meu conforto nas horas de sofrimento
não vivo sozinha porque gosto
e sim porque aprendi a ser só...

Florbela Espanca
Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!

Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Trechos de Fabricio carpinejar




Adeus, meu amor, logo nos desconheceremos. Mudaremos os cabelos, amansaremos as feições, apagarei seus gostos e suas músicas. Vamos envelhecer pelas mãos. Não andarei segurando os bolsos de trás de suas calças. Tropeçarei sozinho em meus suspiros, procurando me equilibrar perto das paredes. Esquecerei suas taras, suas vontades, os segredos de família. Riscarei o nosso trajeto do mapa. Farei amizade com seus inimigos. Sua bolsa não se derramará sobre a cadeira. Não poderei me gabar da rapidez em abrir seu sutiã. Vou tirar a barba, falar mais baixo, fazer sinal da cruz ao passar por igrejas e cemitérios. Passarei em branco pelos aniversários de meus pais, já que sempre me avisava. O mar cobrirá o desenho das quadras no inverno. As pombas sentirão mais fome nas praças. Perderei a seqüência de sua manhã - você colocava os brincos por último. Meus dias serão mais curtos sem seus ouvidos. Não acharei minha esperança nas gavetas das meias. Seus dentes estarão mais colados, mais trincados, menos soltos pela língua. Ficarei com raiva de seu conformismo. Perderei o tempo de sua risada. A dor será uma amizade fiel e estranha. Não perceberei seus quilos a mais, seus quilos a menos, sua vontade de nadar na cama ao se espreguiçar. Vou cumprimentá-la com as sobrancelhas e não terei apetite para dizer coisa alguma. Não olharei para trás, para não prometer a volta. Não olharei para os lados, para não ameaçá-la com a dúvida. Adeus, meu amor, a vida não nos pretende eternos. Haverá a sensação de residir numa cidade extinta, de cuidar dos escombros para levantar a nova casa. Adeus, meu amor. Não faremos mais briga em supermercado, nem festa ao comprar um livro. Não puxaremos assunto com os garçons. Não receberemos elogios de estranhos sobre nossas afinidades. Não tocaremos os pés de madrugada. Não tocaremos os braços nos filmes. Não trocaremos de lado ao acordar. Não dividiremos o jornal em cadernos. Não olharemos as vitrines em busca de presentes. O celular permanecerá desligado. Nunca descobriremos ao certo o que nos impediu, quem desistiu primeiro, quem não teve paciência de compreender. Só os ossos têm paciência, meu amor, não a carne, com ânsias de se completar. Não encontrará vestígios de minha passagem no futuro. Abandonará de repente meu telefone. Na primeira recaída, procurará o número na agenda. Não estava em sua agenda. Não se anota amores na agenda. Na segunda recaída, perguntará o que faço aos conhecidos. As demais recaídas serão como soluços depois de tomar muita água. Adeus, meu amor. Terá filhos com outros homens. Terá insônia com outros homens. Desviará de assunto ao escutar meu nome. Adeus, meu amor.

Fabrício Carpinejar

Trechos de Fabricio Carpinejar


Os amigos são próprios de fases: da rua, do Ensino Fundamental, do Ensino Médio, da faculdade, do futebol, da poesia, do emprego, da dança, dos cursos de inglês, da capoeira, da academia, do blog. Significativos em cada etapa de formação. Não estão em nossa frente diariamente, mas estão em nossa personalidade, determinando, de modo imperceptível, as nossas atitudes.
Quantas juras foram feitas em bares a amigos, bêbados e trôpegos? Amigo é o que fica depois da ressaca. É glicose no sangue. A serenidade.

Fabrício Carpinejar

trechos de Fabricio Carpinejar

Meu maior medo é viver sozinho e não ter fé para receber um mundo diferente e não ter paz para se despedir. Meu maior medo é almoçar sozinho, jantar sozinho e me esforçar em me manter ocupado para não provocar compaixão dos garçons. Meu maior medo é ajudar as pessoas porque não sei me ajudar. Meu maior medo é desperdiçar espaço em uma cama de casal, sem acordar durante a chuva mais revolta, sem adormecer diante da chuva mais branda. Meu maior medo é a necessidade de ligar a tevê enquanto tomo banho. Meu maior medo é conversar com o rádio em engarrafamento. Meu maior medo é enfrentar um final de semana sozinho depois de ouvir os programas de meus colegas de trabalho. Meu maior medo é a segunda-feira e me calar para não parecer estranho e anti-social. Meu maior medo é escavar a noite para encontrar um par e voltar mais solteiro do que antes. Meu maior medo é não conseguir acabar uma cerveja sozinho. Meu maior medo é a indecisão ao escolher um presente para mim. Meu maior medo é a expectativa de dar certo na família, que não me deixa ao menos dar errado. Meu maior medo é escutar uma música, entender a letra e faltar uma companhia para concordar comigo. Meu maior medo é que a metade do rosto que apanho com a mão seja convencida a partir com a metade do rosto que não alcanço. Meu maior medo é escrever para não pensar.

(trecho de Pais e filhos maridos e esposas II)

Fabrício Carpinejar

escritos...


Tem três coisas que me fazem parar de pensar freneticamente. Em milhares de coisas que insistem em passear em minha mente.
Amo cozinhar, transformar todos meus pensamentos em sabores, sejam doces, saborosos, diferentes, assim gasto horas nisto, mas já fiz isto... e não é suficiente, para transcrever essência em material, concreto. Pensamentos complexos e sem solução. Aqueles sobre a vida, os sonhos, o futuro, presente, passado, nesta ordem desordenada, confundindo-me e fazendo-me perguntas que não tenho resposta, e não ter resposta dói, dói como se estivesse realmente sagrando uma ferida aberta e exposta, sem remédio que amenize...
Assim sou eu, essa é a mulher com pensamentos transbordando em palavras escrever me acalmam, gasto minutos para racionalizar loucuras, em letras, que mesmo sem nexo quando as leio parece que encontro todas as respostas nas entrelinhas, não sou escritora, não tenho dom ou algo parecido, mas escrever me acalma, me faz bem, e tudo que me faz bem, traz a tranqüilidade que mereço, afinal esta é a segunda coisa que me traz ao mundo real, sem muito esforço, e amo pedalar, deixo todos os meus pensamentos pela estrada, e esses se juntam com as duvidas de tantas pessoas que por ali também passam, e no fim tudo se torna poeira, e vai distante, e pensar nisto também me acalma.
E quando nada disto soluciona, antigamente em outra época que me parece outra vida, outra mulher que me sorri e me olha, um olhar de menina, sem dor, sem medos, anseios ou duvidas, apenas menina, sonhadora, eu chorava, e chorar me acalmava, mas hoje racionalizo o choro, apenas acho, que as lagrimas só aumentam a angustia, e dobra minha ansiedade..
Mas atualmente estou em uma fase diferente, queimei tudo que me era lembrança, quem sabe assim sobra espaço, para que eu consiga viver, respirar ar puro, e não somente poeira de coisas que guardava, se foram as lembranças a tanto colocadas em um baú, sem nome mas com muitas saudades, mas que com o tempo se tornaram isto apenas lembranças. Fazer este desapego esta me trazendo alegria, e no fim descobri que posso recomeçar, recomeçar e recomeçar. E isto para mim, que carregou tantas marcas, e tão profundo e significativo mas que fazem parte da minha essência, e essência e tudo, e o que faz ser o que sou as duvidas, terei sempre, mas enquanto houver, fé , e amor, posso.. e estou calma e serena como o meu menininho quando dorme depois de um longo dia.
iasminny martins

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

sobre as mudanças

Sobre as mudanças.



Ainda prefiro surpresas ao invés de presentes...
Uso os mesmos velhos jeans que contam historias únicas de uma outra vida..que vai se entrelaçando a esta nova que inventei pelo simples prazer de fazer parte, assim perco a noção do tempo e de qual destas historias me completa, qual e real, e qual inventei...
E quando estou triste ainda choro no chão do banheiro, ate as lagrimas cansarem de silenciosamente sentir minha dor.
Cortei o cabelo, pelo único motivo, diminuir algo que fazia de mim lembranças, etéreas, presa, sufocante, constante, e só, uma solidão, única de quem amou, mas que a si, amou mais, e apesar de tudo insuficiente para se tornar eterno, ou intermediário entre o eterno e o enquanto dure.
Mudei acredite, mudei as ruas, a forma de caminhar, mudei a forma de amar, de crer, de vislumbrar,de coexistir, mudei de canção, e estou me apaixonando, por mim, amando sentir, capaz de mudar, ah isto esta me deixando simplesmente feliz.
E estou provando a mim mesma que ainda posso.
Estou acordando cedo para desfrutar do prazer, de despertar para viver, seja o hoje, o instante, nada como o sol para aquecer sonhos que a tempo deixei no canto, tirei a poeira de todos, espanei das desilusões, e fui viver, e a partir daí surgiu uma alegria contagiante...
Mas continuo gostando de sentir a chuva, molhar meus pés, e olhos, de forma a tirar a poeira do passado, e clarear os olhos pro aqui e agora, ainda gosto do silencio, e poder ser calmaria de um pensamento, o silencio depois de um beijo esperado, e o silencio depois que a via diz adeus.
Mudei de casa, de sorriso, mudei a forma de olhar,mudei por mim, por você que me mostrou que o fim, pode ser sempre o inicio da mudança, de comportamento, de atitudes, de modelar e reinventar, de ser.
E estou olhando menos no espelho.
Estou bem.
Posso seguir.
Posso viver.
Posso ir, voltar, trocar de opinião.
E nisto que estou acreditando, mas amanha, quem pode dizer.
Talvez eu mude.
Iasminny martins

martha medeiros, promessas de casamento...

Promessas de Casamento


Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento a igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre. "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?
- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?
- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?
- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?
- Promete se deixar conhecer?
- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?
- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?
- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?
- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?
- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros.

Martha Medeiros

se nada der certo escolha me amar, Martha medeiros


Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música e de sexo. goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ... Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!

martha medeiros

sobre ser mãe

"Nós estamos sentadas almoçando quando minha filha casualmente menciona que
ela e seu marido estão pensando em 'começar uma família'.
'Nós estamos fazendo uma pesquisa', ela diz, meio de brincadeira. 'Você
acha que eu deveria ter um bebê?'
'Vai mudar a sua vida,' eu digo, cuidadosamente mantendo meu tom neutro.
'Eu sei,' ela diz, 'nada de dormir até tarde nos finais de semana, nada de
férias espontâneas.. .'
Mas não foi nada disso que eu quis dizer. Eu olho para a minha filha,
tentando decidir o que dizer a ela. Eu quero que ela saiba o que ela nunca
vai aprender no curso de casais grávidos. Eu quero lhe dizer que as feridas
físicas de dar à luz irão se curar, mas que tornar-se mãe deixará uma
ferida emocional tão exposta que ela estará para sempre vulnerável.
Eu penso em alertá-la que ela nunca mais vai ler um jornal sem se perguntar
'E se tivesse sido o MEU filho?' Que cada acidente de avião, cada incêndio
irá lhe assombrar. Que quando ela vir fotos de crianças morrendo de fome,
ela se perguntará se algo poderia ser pior do que ver seu filho morrer.
Olho para suas unhas com a manicure impecável, seu terno estiloso e penso
que não importa o quão sofisticada ela seja, tornar-se mãe irá reduzí-la ao
nível primitivo da da ursa que protege seu filhote. Que um grito urgente de
'Mãe!' fará com que ela derrube um suflê na sua melhor louça sem hesitar
nem por um instante.
Eu sinto que deveria avisá-la que não importa quantos anos ela investiu em
sua carreira, ela será arrancada dos trilhos profissionais pela
maternidade. Ela pode conseguir uma escolinha, mas um belo dia ela entrará
numa importante reunião de negócios e pensará no cheiro do seu bebê. Ela
vai ter que usar cada milímetro de sua disciplina para evitar sair correndo
para casa, apenas para ter certeza de que o seu bebê está bem.
Eu quero que a minha filha saiba que decisões do dia a dia não mais serão
rotina. Que a decisão de um menino de 5 anos de ir ao banheiro masculino ao
invés do feminino no McDonald's se tornará um enorme dilema. Que ali mesmo,
em meio às bandejas barulhentas e crianças gritando, questões de
independência e gênero serão pensadas contra a possibilidade de que um
molestador de crianças possa estar observando no banheiro.
Não importa o quão assertiva ela seja no escritório, ela se questionará
constantemente como mãe.
Olhando para minha atraente filha, eu quero assegurá-la de que o peso da
gravidez ela perderá eventualmente, mas que ela jamais se sentirá a mesma
sobre si mesma. Que a vida dela, hoje tão importante, será de menor valor
quando ela tiver um filho. Que ela a daria num segundo para salvar sua
cria, mas que ela também começará a desejar por mais anos de vida -- não
para realizar seus próprios sonhos, mas para ver seus filhos realizarem os
deles.
Eu quero que ela saiba que a cicatriz de uma cesárea ou estrias se tornarão
medalhas de honra.
O relacionamento de minha filha com seu marido irá mudar, mas não da forma
como ela pensa. Eu queria que ela entendesse o quanto mais se pode amar um
homem que tem cuidado ao passar pomadinhas num bebê ou que nunca hesita em
brincar com seu filho. Eu acho que ela deveria saber que ela se apaixonará
por ele novamente por razões que hoje ela acharia nada românticas.
Eu gostaria que minha filha pudesse perceber a conexão que ela sentirá com
as mulheres que através da história tentaram acabar com as guerras, o
preconceito e com os motoristas bêbados.
Eu espero que ela possa entender porque eu posso pensar racionalmente sobre
a maioria das coisas, mas que eu me torno temporariamente insana quando eu
discuto a ameaça da guerra nuclear para o futuro de meus filhos.
Eu quero descrever para minha filha a enorme emoção de ver seu filho
aprender a andar de bicicleta. Eu quero mostrar a ela a gargalhada gostosa
de um bebê que está tocando o pelo macio de um cachorro ou gato pela
primeira vez. Eu quero que ela prove a alegria que é tão real que chega a
doer. O olhar de estranheza da minha filha me faz perceber que tenho
lágrimas nos olhos.
'Você jamais se arrependerá', digo finalmente.
Então estico minha mão sobre a mesa, aperto a mão da minha filha e faço uma
prece silenciosa por ela, e por mim, e por todas as mulheres meramente
mortais que encontraram em seu caminho este que é o mais maravilhoso dos
chamados. Este presente abençoado de Deus...."(Autora Desconhecida)

Para o Felipe

sabe filho, quando voce chegou mudou meu pequeno mundo..

agora nem todos sao maus, voce me mostrou a alegria.....

e com seus gestos, maos, e olhos, e sorrisos... vem me mostrando que amar..
tem tantas formas e traduçoes..

pensando bem a vida sempre foi bela eu so estava precisando olhar novamente..

e enfim sou eu que estou te mostrando o mundo...

e quero que atraves dos meus olhos ele te pareça belo...

obrigado filho,

por me olhar como se eu fosse heroina, como se eu fosse grande... e

capaz de te proteger...

enfim vc me faz ser capaz...

pensando bem a vida e incrivel mesmo...
Iasminny martins