domingo, 12 de agosto de 2012

Pai

Quando penso em meu pai a primeira lembrança é o sorriso, o jeito manso de levar a vida, e a capacidade de ser mais ouvinte do que falante, e para mim isso sempre fez toda a diferença, porque sempre fui muito falante.
Me vem a lembrança dele me ensinando a cozinhar, e elogiando o primeiro arroz papa e sem sal que fiz na vida.
Sendo ombro amigo quando o meu primeiro namorado terminou comigo, e en...
quanto eu chorava e fazia todo o meu drama costumeiro, ele me fez rir dizendo que eu ainda teria mais namorados que a torcida do flamengo, e eu ri e ri com gosto porque ele me faz rir, porque ninguém me imita melhor que ele, imita meus dramas e trejeitos.
Porque meu pai é um pai com todas as letras, com todo amor que coube a ele, com seu jeito calado e discreto, me faz querer ser melhor do que sou, por nunca ter ouvido ele maldizer de ninguém, por ter valores, por ser ombro, força, fé e amor.
Porque me ensinou tanto, e me ensina, porque sabe das minhas imperfeições e me ama assim mesmo, porque homem como ele não tem aos montes pelo mundo e quando a gente é agraciada tendo ele como pai a gente ora e pede pra Deus deixar ele na terra por longos e longos anos.
Porque ele segurou minha mão quando tive medo, e me elogiou quando conquistei vitorias, porque está presente, por ser incrível Vô , e por ser cabeça dura também,por ter seus defeitos, e por ser quem é simples assim, por ser o sessentão mais charmoso que conheço, amo muito e sei que é a serenidade para meu caos, e a bondade que me faz acreditar. Te amo pai.

Iasminny Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário