quarta-feira, 6 de abril de 2011

com o tempo....

Com o tempo, todas as lagrimas secam, afinal, nao cabem em nenhum contexto, nao cabe no peito, os olhos já nao choram por mais nada.
com o tempo secam as roupas do varal, a flor precisa de mais sol, mas falta força, para que faça mudar mais algo.
com o tempo todos os defeitos que tanto incomodaram, ou se calcificaram, ou simplismente foram se tornando qualidades necesarias na vida.
com o tempo, se esquece as magoas, os motivos do adeus, tudo se torna tao distante, que nem mesmo a presença e capaz de avivar, aquiecer, assim passa se lado a lado, na mesma rua e se tornaram distantes, desnecessarios e insuficientes, nao e preciso falar, nada, o que precisava ser dito, foi dito, a anos atras, em uma outra vida, nao se olham, para nao correr o risco de que seja descoberto todas as respostas, que nao precisam de perguntas. nao precisa mas ser romance, nem
toque,nem voz, nem tao pouco nervosismo, a vantagem da maturidade, e que se aprende a fingir, e fingir e um otimo artificio para se evitar todas as magoas.
com o tempo, passam se as dores, as lagrimas e a sensaçao de impotencia diante dos desejos de ir, de gritar, de fazer ouvida.
fica a sensaçao de que passou, e por mas que o tempo passe, serao sempre quatro estaçoes a serem vividas, assim com as fases da vida, assim como o inicio o meio , e o fim.
e fim é fim, e isso nem o tempo explica, conforta, anima, fim e quando, nao tem letras, palavras, nao tem mais sorriso, olhares, nao tem mais dia a dia, presença, calor, nao tem mais a gente, tem o que resignificamos para viver melhor, com o que sobrou,dos planos, das metas, fim, e quanto a vida continua, mesmo que nao façamos parte, da essencia, do ar, dos motivos, das datas importante, fim e a inspiraçao, e o que o tempo deixa amarelar.e isto e deseperador, mas o com o tempo se esquece de quem tanto se amou, e aprende, a viver, porque como dizem, o tempo cura tudo, dor, amor, saudade.
daí voce passa, ao lado, respira fundo, segue adiante, vira na proxima esquina e desaba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário