quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Das coisas que quero esquecer

 
Eu não quero matar um leão por dia, nem esperar que os ventos mude,
Não quero trocar de pele, nem acrescentar silicone aos meus pequenos peitos, não quero cintura mais fina, nem roupa com etiqueta famosa, não quero alizante para os meus cabelos cacheados, nem livro de auto ajuda para minha solidão, nem pílulas para minha insônia,não quero saber do meu papel na política consciente, nem quero discur...
sos sobre como o mundo pode mudar, acreditei tanto em tantas coisas, e que cada um que cuide daquilo que o assombra antes de dormir, porque pesadelo mesmo é conciliar o sono, é conciliar minha vida, pra não te encontrar, porque te ver me faz querer ter tudo , me faz mal e me faz também dormir melhor, porque não tem abraços que aqueça o frio de dentro.
Eu quero mesmo é te esquecer, esquecer tudo que me liga a você, mesmo que nem seja tantas coisas assim, porque não falo mais de amor, porque nem tem um porque ao certo, eu escrevo sem ao menos saber o porque de pensar em você, muitas pessoas já te amaram, e tem todos os tipos de amores até os de plásticos como as flores alaranjadas que comprei, são lindas mais não cabe em lugar nenhum aqui em casa, elas não tem cheiro e nem vida.
Eu to te esquecendo hoje eu esqueci os dois últimos números do seu telefone, amanhã vou esquecer seu endereço, e até o fim de semana vou esquecer o seu cheirinho bom, e até não sei que dia, porque minha memória é boa, eu que tenho dedo ruim é pro amor, assim como para plantas, que sempre morrem, ando comprando umas de plástico mais nunca são iguais, você me entende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário